quinta-feira, 17 de setembro de 2009


Ao colorir as mandalas, o tempo parece parar, ele deixa de existir. Brincar com as cores é um exercício meditativo similar ao de compor música. As cores são como as notas musicais. A cor anterior chama à seguinte, uma tempera à outra e a combinação de várias delas cria acordes que se desenvolvem em melodias circulares encadeadas entre si, como nas cantatas de Bach.

As mandalas em branco e preto -feitas a bico de pena ou grafite- fazem com que, ao contemplá-las o nosso olhar se torne mais inteligente e ativo. A ausência de cor desperta as camadas mais profundas da imaginação. Nos provoca e desafia ao fazer com que adivinhemos as cores e os volumes escondidos em seus traços. A observação do desenho a nanquim nos torna cúmplices do artista e co-autores de sua criação.

As mandalas coloridas prendem nossa atenção quase que instantaneamente pela beleza da combinação das cores. Elas captam nosso olhar mais facilmente que as mandalas em preto e branco, embora deixem o olhar mais passivo. Elas estão mais em harmonia com os sentimentos do que com a razão. Falam direto com a emoção e evocam diferentes estados de espírito a cada mudança de tonalidade.

Colorir uma mandala é uma experiência fantástica. Já logo depois de começar, a mente se aquieta num estado de calma meditação que dura até finalizar a peça. As cores fluem como se já estivessem no papel, esperando por um estado mental especial que guiasse a mão e as trouxesse à superfície. Os resultados alcançados são sempre surpreendentes e gratificantes. Depois de terminada a peça, fica uma agradável sensação de paz e relaxamento que deixa um sorriso de calma e satisfação estampado no rosto.

Mandalas são instrumentos que nos ajudam a frear o furacão de pensamentos simultâneos que giram sem parar em nossa mente.Assim, elas nos permitem “separar o joio do trigo” e dedicar nossas energias somente àqueles pensamentos que realmente valham a pena serem pensados. Agindo assim aplainamos a trilha do nosso crescimento interior. As mandalas são delicadas ferramentas que proporcionam harmonia e paz através da contemplação do belo.

Mandalas são desenhos circulares de proporções e efeitos ópticos calculados especialmente para acalmar suavemente os pensamentos. Nesse momento de calma contemplação, aproveitamos o estado mental criado pelas imagens para transformar em realidade as potencialidades espirituais que vivem em cada um de nós.
Ao contemplar uma mandala, evocamos, através do pensamento criativo, seus poderes em nossas vidas. Assim, tranqüilamente e pelo olhar da beleza, o amor atinge o coração.

Um comentário:

  1. Prezado
    Parabéns pelo blog!
    Abs
    Alexandre Taleb
    Consultor de Imagem/Personal Stylist
    Visite meu blog: http://ataleb.wordpress.com/

    ResponderExcluir